Lâmpadas de LED: sustentabilidade e eficiência mudando a história da iluminação

Em setembro damos boas vindas à primavera e comemoramos o Dia da Árvore. A data escolhida, dia 21, foi instituída para conscientizar os brasileiros em relação à preservação do meio ambiente. A Ultraluz reforça a importância do pensamento sustentável trabalhando em sistemas de iluminação cada vez mais eficientes e inteligentes. 

Sua linha de lâmpadas LED, por exemplo, traduz os anseios de uma iluminação mais sustentável, limpa e econômica. Cada vez mais utilizada no Brasil, as lâmpadas de LED substituem as lâmpadas tradicionais e são utilizadas em residências, empresas, lojas, escolas e também na iluminação pública. Isso porque além de durar mais, elas são muito mais econômicas do que qualquer outro tipo disponível no mercado.

A utilização da tecnologia LED ainda pode contribuir com a melhora nas condições climáticas do planeta. Confira alguns bons motivos pelos quais você deveria trocar seu sistema de iluminação convencional por um de LED!

Sem metais pesados e substâncias prejudiciais à saúde

As lâmpadas, refletores, sensores e painéis de LED, adequados para residências, comércios, áreas públicas e de interiores, não utilizam metais pesados, como o mercúrio ou vapor de mercúrio em sua composição – o que torna o descarte mais fácil e não nocivo para o meio ambiente. Quando manuseadas de forma incorreta, algumas substâncias químicas são extremamente prejudiciais à saúde. Por isso a Ultraluz é pioneira no processo reverso – descarte ecológico das lâmpadas eletrônicas ao fim de sua vida útil.

É verdade que a forma mais sustentável de iluminação é proveniente da luz natural. Por isso, engenheiros e arquitetos do mundo todo trabalham para otimizar a iluminação natural em suas construções. Mas, quando um escritório ou uma escola consegue diminuir consideravelmente seu consumo de energia elétrica, essa economia contribui para a sustentabilidade das fontes de energia do planeta.

Segundo o relatório “Caminhos para uma economia de baixa emissão de carbono no Brasil”, divulgado pela consultoria McKinsey & Company, a iluminação LED é a mais apropriada nos esforços de combate ao aquecimento global. Conforme estudos, a simples conversão dos sistemas de iluminação atuais por tecnologia LED diminuiria em até 50% as emissões de Dióxido de Carbono (CO²) no meio ambiente – isso em pouco mais de 20 anos após a troca.

Economia – um futuro que chegou com a tecnologia LED

Conhecida como a lâmpada do futuro, a LED reduz em até 90% o consumo de energia elétrica. Isso porque durante a noite as luminárias convertem mais de 80% da energia em luminosidade. Para se ter uma ideia, uma lâmpada de LED usa menos energia que 25 lâmpadas incandescentes (aquelas antigas e que não são mais fabricadas) e uma lâmpada dicroica de 50W pode ser substituída por uma lâmpada LED de apenas 5W, mantendo a mesma luminosidade.

Mas a economia não se reflete apenas no bolso do brasileiro. Quando gastamos mais energia elétrica é necessário produzir mais energia – aumentando os prejuízos ao meio ambiente e gerando instabilidades na paisagem e no clima.

Se a análise for meramente econômica, talvez outros tipos de lâmpadas sejam mais vantajosas para residências, já que no ponto de venda as LEDs custam mais. No entanto, em grandes edificações, como escolas e prédios comerciais com inúmeros pontos de luz, não há comparação. As lâmpadas de LED refletem economia e melhor custo-benefício. Confira o comparativo de consumo:

Não é à toa que grandes cartões postais, como o Palácio de Buckingham, em Londres, e o Parque Ibirapuera, em São Paulo, já aderiram à tecnologia LED.

Mais luz, menos calor

Mais eficientes e ao contrário das lâmpadas convencionais, as LEDs transformam mais de 80% da energia consumida em luz, em vez de calor. Isso significa um baixo aquecimento do local onde as luminárias estão instaladas, maior conforto e menor utilização de ar condicionado. A cada 3,5W de energia reduzida se obtém uma economia de 1W no consumo da refrigeração.

Por produzir menos calor, as lâmpadas não atraem insetos. Elas também não emitem raio UV, por isso, não fazem mal para a pele e não estragam produtos e objetos que ficam expostos à luz.

Nada de ficar trocando, trocando, trocando

As lâmpadas de LED têm vida útil muito longa. Possuem duração acima de 50 mil horas, o que diminui a necessidade de manutenção e trocas frequentes, diminuindo também o consumo e o descarte. Menos lixo para o planeta!

Processo reverso

Confirmando seu compromisso com o meio ambiente, a Ultraluz pratica o retrofit, ou processo reverso. A empresa recebe lâmpadas inutilizadas e se responsabiliza pela destruição das mesmas, utilizando procedimentos ecológicos que não agridem o meio ambiente.

Não deixe de acompanhar o blog da Ultraluz e as redes sociais Facebook e Instagram.